Perguntas Frequentes

É um treinamento específico para cada prova, na forma de revisão. Envolve várias provas de residência médica e também de revalidação de diploma.
O Sprint é um modelo de revisão que tem como objetivo aumentar a intensidade de estudos na reta final de preparação para provas, otimizando o tempo para sedimentar os assuntos e forma de abordagem mais comuns em cada concurso.
A ideia não é acertar questões que se repetem. Absolutamente. Isso até acontece, mas não é o ponto. Ao conhecer o perfil da banca, assuntos e maneira de explorar, quem faz o Sprint não é surpreendido durante a prova; a gente se sente em casa... isso reduz absurdamente a ansiedade, otimiza o raciocínio e tem o potencial de melhorar a performance inclusive em assuntos que não foram tão revisados.
A sensação descrita por quem faz o Sprint é que faz a prova "sorrindo".
O Sprint é uma revisão na forma treinamento focado em provas. É feito para quem está na reta final de preparação para os concursos, e sabe que é fundamental aumentar o ritmo e o rendimento dos estudos nas semanas que antecedem a prova.
A primeira linha traz o Sprint Final, e podemos nos inscrever em quantos quisermos...Na inscrição em Sprint adicional há desconto de 15%.
A segunda linha é um pacote, com 1 Sprint Final e um grupo de aulas selecionadas do extensivo do Hardwork Medicina (representam cerca de 70% das aulas do extensivo), com os temas mais explorados em provas. Aqui também é possível acrescentar Sprints adicionais, mas se quiseres fazer 3 ou mais, e ter as aulas, a melhor opção é a terceira...
A terceira é outro pacote, agora com 3 Sprints (podes acrescentar outros) e o grupo de aulas.
Sim. É possível se inscrever em quantos treinamentos tivermos interesse. Por sinal, o treinamento adicional tem desconto de 15% em relação ao valor original.
Só é importante ter atenção na gestão de tempo! O bom rendimento dos treinamentos tem relação direta com o grau de dedicação.
As inscrições ficam abertas até 3 semanas antes da realização da prova.
Das poucas certezas que se tem sobre métodos de estudo, uma é que as metodologias ativas de aprendizagem são extremamente superiores às passivas. Aprendemos mais, sedimentamos melhor...
Um método passivo é aquele no qual o aluno apenas recebe informações e as armazena; exemplos clássicos são aulas com conteúdo, aulas de resolução de questões, leituras simples de textos, leituras simples de comentários de questões. O método passivo, para ser efetivo, exige muita energia, muita memorização... e haja revisão...
Os métodos ativos são aqueles em que participamos ativamente da construção da informação; somos convidados a pensar a todo instantes, a gerar conexões com dados que tivemos contato previamente. O resultado disso é a criação de uma ampla rede de conhecimento, com informações interconectadas, difíceis de serem perdidas... até o processo de revisão é mais simples, pois ao recobrar um conceito, todos aqueles relacionados a ele são reativados na memória.
Em 01/09 liberaremos a plataforma para começarmos a nos familiarizar. Até o início dos treinamentos, o sistema liberará todas as semanas um grupo de questões de prova para cada hardworker, baseado nos Sprints em que estiver inscrito.
Imagine, por exemplo, que esteja inscrito no Sprint PSU-MG; as questões que receberei serão mais direcionadas para o PSU-MG (provas da instituição e outras com formato de questão similar), embora algumas questões sejam de bancas aleatórias.
Se estiver inscrito no PSU-MG e USP-SP, o direcionamento será para as duas...
Ah, importante: essas questões serão acompanhadas de comentários...e se tiver dúvida, não se estresse: tiramos tudo nos grupos do Sprint Final!
Cada área de cada prova começa com um vídeo do professor orientando sobre como aquele assunto costuma ser explorado nas instituição, ao mesmo tempo que pode aproveitar para lembrar de alguns conceitos importantes para aquela prova.
Finalizado o vídeo, somos apresentados a uma série de atividades simples (que não representam as questões de prova em si), de fácil resolução, que têm como objetivo dinamizar o processo de estudo e fazer o vínculo com algumas mensagens fundamentais para aquela prova, que serão apresentadas na sequência. Nesse processo, a plataforma monitoriza nosso desempenho, tanto por respostas corretas/incorretas, quanto pelo grau de certeza.
Enquanto não formos completamente eficientes na atividade, a área não se fechará, e o assunto não será dado como concluído.
Junto a cada mensagem apresentada, poderemos visualizar questões da instituição que, de uma forma ou de outra valorizam o entendimento do conteúdo explorado.
Uma vez encerrada a área de treinamento, ela ficará inativa e será reformatada, agora com menos atividades (mas personalizadas), no algoritmo de revisão do Sprint; em breve ela aparecerá novamente.
Os temas são selecionados através da revisão detalhada das provas dos últimos 6-8 anos de cada instituição. Geralmente são valorizados temas que foram mencionados nas provas mais que uma vez, ou ainda temas clássicos mesmo que a menção tenha sido pontual.
No fim das contas, ainda que parte do conteúdo ofertado num Sprint possa ser similar ao de outro, eles são bem diferentes.
Sim. Os alunos inscritos no Sprint Final Residência Médica têm contato direto com os professores, além de residentes da instituição (ou que conhecem tudo da prova) e que fazem parte do time Hardwork Medicina.
O conceito de "provas-irmãs" é perigoso...cuidado com essa ideia! Aqui no Hardwork preferimos chamar de "provas-primas". É que as bancas são diferentes! Muito diferentes! Não são os mesmos examinadores...simples assim! O que ocorre é que há alguns "jeitões" de prova similares: casos clínicos, perguntas diretas, pegadinhas...
Como exemplo, as provas da USP-SP e UNICAMP são primas! Adoram casos clínicos, enunciados robustos e respostas curtas...
Mas enfim, as áreas de treinamento de cada instituição são montadas de acordo com o que a banca explorou nos últimos anos...e esse "explorou" compreende os temas principais de cada questão e os paralelos - aqueles que nem eram a resposta, mas mostram o que passa na mente do examinador.
Sim. Todo o time do HARDWORK MEDICINA estará a disposição para discutir dúvidas, ouvir sugestões e críticas! Aqui caminhamos JUNTOS, sempre!
Isso é bem individualizado. Para áreas de treinamento novas, no geral, um período de 10 minutos costuma ser suficiente para conclusão.
Depois de concluída uma área de treinamento, ela será reformatada e apresentada posteriormente em datas específicas para revisões cíclicas; essas revisões costumam ser mais breves, dificilmente ultrapassando 5 minutos.
O número é variável, depende muito do padrão de questões da instituição, mas geralmente oscila entre 120 a 140 áreas.
Ah tá bom...quer saber o segredo da coca-cola, é? Bem, essa resposta pertence ao grupo dos ingredientes especiais do Sprint Final. Kkkkkk
Mas não se preocupe. Uma vez tendo finalizado uma área de treinamento, sempre seremos notificados dos momentos de revisar cada assunto. O foco tem de ser em revisar, sempre!
Sim. É fundamental. O treinamento não pode ser feito offline por uma razão muito simples: todos os nossos passos nas áreas de treinamento são monitorizados pela plataforma para personalização das revisões futuras.
Quando a área de treinamento for liberada, deverá ser finalizada para termos sequência no treinamento. Assim que for finalizada, se tornará inativa mas será reapresentada de acordo com o algoritmo de revisões cíclicas do Sprint, até a data da prova; a área de treinamento, nas revisões, tem formatação diferente da inicial, pois nas revisões será ajustada para as necessidades de cada um.
Sim, a partir de 31 de agosto a plataforma poderá ser acessada pelo desktop, navegadores de tablet e smartphones, e aplicativo em tablet e smartphone.
Isso aconteceu numa LIVE de véspera da prova, e era o embrião do Sprint Final. O ponto chave era que até aquele ano o tema ainda não havia sido explorado diretamente pela prova do SUS-SP de acesso direto. No entanto, a síndrome tinha sido mencionada numa alternativa de outra questão da prova de especialidades clínica (R3), o que já desperta atenção no Hardwork...veja, a resposta não era essa, mas o examinador fez questão de mencionar. Isso sinaliza para a possibilidade de ser explorado! Até aí poderia ser algo casual, mas o processo de estudo de provas é amplo e intenso, e eis que encontramos uma questão numa outra prova da banca que tradicionalmente faz a prova! Bingo! Era preciso conversar sobre o assunto...muita gente se deu bem!
Não. O SPRINT FINAL tem como grande pilar a área de treinamento para os concursos. Cada Sprint Final traz consigo mais de uma centena de áreas de treinamento, cada uma de um tema diferente, e específica para a instituição. Antes de iniciar há um vídeo onde o professor indica os conceitos mais relevantes para aquele concurso específico.
A área de treinamento funciona com um método ativo e repetitivo de sedimentação dos principais conceitos. Precisamos otimizar o tempo de revisão! O cerne do Sprint não são aulas...essa é sua grande característica e o diferencial.
Bem, apesar de a revisão não ser o momento de assistir a aulas, muitas vezes necessitaremos revisar um ou outro conceito! Por conta disso existe a possibilidade de adquirir um pacote de aulas que traz consigo os temas mais prevalentes nas provas, no padrão de abordagem do Hardwork Medicina.
Essa pergunta é interessante, pois o Sprint Final é, na verdade, o comentário das questões às avessas...afinal, toda a estrutura dele é feito através delas! No entanto, às vezes ter acesso ao comentário específico ajuda, e por isso, o Sprint Final de provas de residência de 2020 tem questões comentadas dos últimos 5 anos de cada instituição.
Não. A plataforma de treinamento é de uso individual. As áreas de treinamento só podem ser executadas e concluídas uma única vez, e é através do desempenho individual de cada um que existe toda a programação das revisões.